Diz-me como amas e te direis quem és.



            Uma das minhas propostas para este blog é falar de coisas que podem ser ou não essenciais para mim e se eu tiver sorte para vocês, mas até agora eu não falei diretamente, sobre uma coisa que dentre as que são essenciais para nós ela ocupa o primeiro lugar, que é o amor.
            A semana santa acabou, segundo o calendário, que pra mim toda semana é santa. Então, a semana santa acabou e para mim, semana santa está diretamente ao amor e tudo que ele pode superar e tudo que podemos superar através do amor. O amor faz milagres! rs.
E por onde eu olho vejo pessoas apaixonadas, pessoas que amam e não sabem se expressar, pessoas que amam e têm preguiça de demonstrar que amam, pessoas que amam caladas, pessoas que amam e não dão o braço a torcer, amores de todos os tipo e das mais variadas formas de expressão.
            Outro dia, na cama a minha amada esposa me perguntou como eu conseguia ter paciência com ela, eu simplesmente, parei, respirei e disse: Ah por que eu amo você. Parece até ser meio piegas, meio não, totalmente piegas, mas o amor é assim piegas, o amor é brega, o amor gostoso é assim exagerado e intenso, mesmo que a sua forma de expressão seja de uma maneira discreta, mesmo que essa discrição seja apenas entendida pelos amantes.
            Outro dia eu ouvi um psicanalista que eu gosto muito falar que o amor é filho da angústia, isso pra mim soou estranho após algumas poucas palavras eu pude perceber o quanto ele estava certo e o quão bonito soava dizer aquilo. Quando ele disse aquilo ele começou a falar que a angústia era o sentimento de falta de algum objeto, objeto esse que você não sabe o que é, mas que sente a sua falta, eu digo que é aquele vazio quando agente associa a solidão, que pesa no peito e quando alguém preenche tudo na vida da gente fica mais colorido.
            Há homens que quando têm a sorte de se ter o amor de uma mulher, não sabem como mantê-lo, e infelizmente é o que mais eu vejo, por causa disso vejo tantas mulheres magoadas e que acabam se fechando para amar de novo isso acontece por que muitas pessoas que acham e acreditam que o amor é para sempre, eu não acredito em um amor que dure para sempre, eu acredito que as pessoas podem se amar para toda a vida, ou para sempre, mas para isso elas têm que manter esse amor aceso, vivo, a capacidade de amar e reconhecer o amor é algo que está escrito em  meu código genético e acredito que no seu também, só que manter esse sentimento para apenas uma pessoa esse é o grande exercício.
            Quando a minha esposa pergunta para mim como é que eu conseguia ter paciência com ela não foi uma pergunta assim do nada, ela reconhece que eu aceito pacientemente todas as suas idiossincrasias numa boa, às vezes não é numa boa, eu tenho que respirar fundo, contar até 100, imaginar o meu lugar de paz e tranqüilidade e há momentos que nem fazendo isso consigo ser aquele poço de paciência, mas há algo em mim que supera todas essas técnicas que é o sentimento de amor que me faz lembrar o quanto cresci com ela, de todas as experiências que apenas experimentei com ela, o quanto eu me abri com ela, ela me conhece mais do que qualquer pessoa.
Quando encontramos uma pessoa em que podemos depositar nossas angústias e essa pessoa demonstra ter estrutura para lidar com nossas neuroses, nossos desejos e ainda continuar lá do nosso lado e nós podemos fazer o mesmo de volta, eu digo que você é uma pessoa de muita sorte e é preciso conquistar ela várias e várias vezes, a gente tem que usar a criatividade, senão a gente acaba caindo na mesmice, o amor se torna morno mesmo sendo demonstrado de uma maneira extravagante. O amor tem a ver com a exclusividade, é algo que apenas a outra pessoa vai se tocar. Mas que agente apenas faz isso quando estamos no começo do relacionamento e que depois não mais fazemos, por que acreditamos que conseguimos o amor daquela pessoa e ela será para sempre nossa.
Tem um trecho de uma música do Jack Johnson, Better Together, que diz assim:

Love is the answer at least for most of the questions in my heart
Why are we here? And where do we go? And how come it's so hard?
Traduzindo:
O amor é a resposta para a maioria das perguntas que estão em meu coração
Por que estamos aqui? E aonde vamos? E como isso ficou tão difícil?

Com amor as coisas se tornam mais fáceis de serem feitas, Hércules realizou as dozes tarefas fácil, pois havia amor em seu coração, Jesus suportou tudo o que tinha que suportar por que tinha amor em seu coração, eu suporto todas as TPM´s da Jacque, por que tenho amor no meu coração, você suporta todas as manias desagradáveis e chatas do (a) seu/sua amado (a) por que você tem amor no coração, conseguimos nos levantar todos os dias e enfrentarmos uma semana de situações desagradáveis por que temos amor no coração.

.

1 comentários:

Sílvia Lima disse...

Cara! gostei desse post. Concordo com vc. è isso aí o amor é tudo. Torna sim as coisas mais fáceis. Nós é que somos imediatistas e queremos tudo rápido. Vamos espalahndo a notícia pelo ar. Vamos contaminar as pessoas com essa idéia e torcer pra elas acordarem e abrirem seu coração não é?