Diversão

 
Pergunto a vocês: Quem não gosta de se divertir?
Respondo que os depressivos e os compulsivos por trabalho, hahaha, talvez não os depressivos pelo fato deles não escolherem não se divertir, mas pelo fato deles não terem energia para poder se divertir. Mas eu digo, viver é bom quando pode se divertir, sem isso não vale à pena. Eu sempre procuro associar as minhas atividades, trabalho, estudo, relacionamento com a diversão.
Muita gente fica espantada pelo fato de eu escrever tanto. Inicialmente a proposta do meu blog era escrever diariamente, no começo até dava para escrever por que eu havia saído de um emprego e estava esperando ser chamado por outro, nesse período de quase um mês deu para fazer isso, e além do mais eu me sentia na “obrigação” e me divertia excessivamente, além de ser muito catártico pois eu aliviava muito da minha angústia, porém quando eu falava que me divertia escrevendo para as pessoas que eu tinha contato na época elas ficavam espantadas, pelo fato de muitas pessoas acharem escrever uma atividade difícil e penosa.
Não tiro a razão das pessoas acharem que escrever é uma atividade chata, até porque na minha época um dos castigos que minha mãe e professoras de colégio faziam para mim, era escrever, sei lá, umas cem vezes a frase eu não devo fazer bagunça na sala de aula, ou eu não devo mentir para os meus pais ou eu não devo bater nas outras crianças, coisas do gênero, e com esse tipo de punição fica fácil associar o fato de escrever como algo chato. Além do que escrever para se ter o sentido que queremos que o outro entenda é muito mais trabalhoso do que falar. São muitas regras, regras de pontuação, acentuação, concordância verbal, nominal, sintaxe e ortografia, além das regras para se ter um texto coeso.
Isso me faz lembrar de dois momentos em minha vida, o primeiro foi no começo da faculdade onde eu fiz uma prova de antropologia, era a primeira prova do semestre e nessa prova nada mais era do que uma dissertação, a minha nota foi a mais baixa da sala, eu só não tirei zero, por que consegui escrever o meu nome correto e a identificação da turma e disciplina, hahaha, essa parte aí é brincadeira, mas a prova foi um desastre e de lá para cá eu procurei escrever mais e melhorar esse outro meio de me expressar.
O segundo momento foi durante a faculdade acredito que no semestre seguinte a esse, onde eu me correspondia com uma amiga muito querida através de cartas, ela morava no Japão, e quase que diariamente eu escrevia para ela, sobre coisas do meu dia-a-dia, coisas que eu sentia. Eram cartas muito extensas, afinal para as minhas cartas chegarem lá levava cerca de 15 dias, e eu mandava umas 2 ou 3 cartas por semana, foi uma atividade muito divertida, pois parte dessa conversa por cartas era quase que simulando uma conversa informal, e isso me instigava, ficamos nos correspondendo por quase 2 anos, aí os intervalos foram aumentando até que alguns anos atrás eu mandei uma carta para ela, não sei se ela recebeu por que nunca mais obtive resposta dela, nem sei se ela mora no mesmo endereço, ela se muda tanto, enfim, faz parte da vida, hahahaha.
Mas a diversão me fez mudar a minha perspectiva em relação a escrita, sei que não sou nenhum Luís Fernando Veríssimo, Pedro Bial ou Mario Quintana para escrever como eles, mas com muito esforço acredito que chegarei lá.
O importante é que seja uma atividade divertida.
E agora eu pergunto: Quem é que gosta de se divertir?
Eu, essa é a minha resposta.
E isso me faz pensar em outra situação que me ocorreu há alguns dias, aqui na minha cidade, Maceió, no mês de abril, a cantora Claudia Leite virá se apresentar, eu irei ao show dela, a não ser que aconteça algo que impeça. Vocês devem estar pensando o que tem demais eu ir a um show da Cláudia Leite, na verdade vocês estão certos, não tem nada de extraordinário em ir a um show de uma grande cantora, o fato é que eu não gosto do estilo de música que ela canta, não gosto nem um pouco de axé, entretanto, minha esposa gosta, e eu pensei, posso não gostar do estilo de música, mas penso que indo lá haverá uma grande possibilidade de eu me divertir.
É preciso estabelecer alguns parâmetros em nossas vidas, mas esses parâmetros precisam ser flexíveis a mudanças, posso não saber a letras das músicas dela, mas com certeza eu irei me divertir muito, é preciso abrir a mente para nos divertir e nos despirmos da maioria dos nossos paradigmas.
.

Água e a Seqüência Fibonacci


A Água

                Quando eu era criança pequena lá em Barbacena, eu aprendi que cerca de 75% da superfície do nosso planeta era coberta por água e na mesma proporção o peso do nosso corpo é composto pelo mesmo líquido, o que sempre achei interessante é essa semelhança e muito mais do que isso o fato de alguém ter feito essa relação, aliás até mais do que o método usado para descobrir que ¾ do nosso peso é de água, hoje em dia eu já nem mais penso no como eles descobriram e como eles chegaram a relacionar um com o outro isso é de queimar o pouco juízo que eu tenho.
 Semelhantemente é o caso da seqüência Fibonacci, para quem não sabe o que é a seqüência Fibonacci, é uma seqüência que um italiano Leonardo de Pisa descobriu para se calcular o crescimento do número de uma população de coelhos e a seqüência é a feita da seguinte forma, um determinado número surge da adição dos dois últimos números anteriores a ele, sendo a seqüência assim, 0,1, 1,2, 3, 5,8, 13, 21, 34, 55... Até aí tudo bem, só que descobriram que essa seqüência está relacionada com algumas estruturas encontrada na natureza tanto em proporções microscópicas quanto macroscópica essas estruturas têm na composição estruturas formas que variam segundo a proporção seqüência Fibonacci.
O que mais me intriga é alguém ter medido essa proporção e ter encontrado a semelhança com a seqüência Fibonacci, e isso me faz perceber que as mentes que mais influenciaram o pensamento e as descobertas mais importantes de nosso planeta vieram de pessoas desocupadas e me fazem repensar no valor para o plano cósmico, essa foi boa plano cósmico, das pessoas desocupadas, dos bon vivants, sem alguns deles talvez demorássemos chegar aonde chegamos, outro exemplo de um bon vivant que revolucionou o pensamento científico ocidental foi o Arquimedes, o cara havia chegado de um passeio na ágora, para quem não sabe ágora era o shopping Center da Grécia antiga, e ao chegar de lá, Arquimedes resolveu relaxar na banheira ao deitar na banheira ele viu que o nível da água aumentava, na verdade ele era deslocado por causa do volume do corpo de Arquimedes,  o cara saiu louco da banheira gritando EURECA e nu por toda a ágora, e nada mais nada menos que ele descobriu a teoria do empuxo, teoria que revolucionou a física hidrostática.
Querem mais exemplos de desocupados que mudaram a ciência do nosso povo, foi o cientista Sir Isaac Newton, Newton estava lá de bobeira sentadão debaixo de uma árvore quando ao reparar que uma maçã, caiu da árvore e no chão, com a observação dessa cena ele descobriu e construiu o conceito de gravidade.
Essas coisas simples do nosso cotidiano só são percebidas e compreendidas quando temos um ritmo de vida mais devagar, sem tanta preocupação e compreender essas frivolidades é reconhecer a importância delas como, por exemplo, a água, a substância mais abundante do planeta e a qual nós damos pouca importância, como já dizia um professor meu de geografia o que abunda custa menos, e esquecemos que ela é um bem natural não renovável, e que se continuarmos assim gastando sem responsabilidade a água de amanhã será o xixi de ontem.
                Hoje, no dia da água, devemos difundir a idéia de um consumo responsável e consciente, com o mínimo de gasto possível.
                Da mesma forma que defendo o uso responsável da água, defendo a não crucificação dos Bon vivant, pois amanhã um deles poderá encontrar uma maneira de renovar a água ou uma maneira prática simples de evitar que iremos beber xixi reciclado para viver, ou encontrar um meio de acabar com a destruição do nosso planeta.
                Precisamos resgatar aquele estilo de vida mais devagar, ter um momento de ociosidade ficar com nossos próprios pensamentos, contemplar e descobrir que há coisas mais importantes na vida que ser considerado uma pessoa extremamente ocupada.
                Resgatar essa maneira mais simples de viver a vida também é uma forma de usar de maneira mais inteligente os recursos naturais de nosso planeta e aproveitarmos da melhor maneira o que a vida nos proporciona.
                Use água com responsabilidade.

.

Mentiras têm pernas curtas, mas insistem em usar salto alto


O que me inspirou a escrever sobre a mentira não foi a palavra em sim, mas sim uma frase que eu vi na revista Caras, não que eu seja leitor dela, mas como é revista campeã dos consultórios médicos, ela estava lá,eu olhei para ela e ela olhou para mim, rolou um clima  e ao folheá-la cheguei à parte das frases de figuras famosas e uma delas me chamou a atenção e a frase foi citação de nada mais, nada menos de Nietzsche, que dizia assim A mentira exige muita invenção, dissimulação e também memória.
Eu concordo inteiramente com a frase do grande filósofo, não pelo fato de eu ser fã dele, mas por que eu pensava dessa mesma maneira antes mesmo de saber que ele havia dito essa citação, eu cresci ouvindo de minha mãe que o Diabo é o pai da mentira, e quem mentia era filho do Diabo, que mentir era feio e errado e que eu não deveria mentir e etc e tal. Para mim essas são as maiores mentiras que podemos dizer a uma criança, veja como é insana a educação das crianças, e analisando tudo isso eu vejo que as crianças são mais fortes, psicologicamente, que os adultos, pois se eu fosse aprender isso com o pensar de um adulto acredito que eu surtaria rapidinho.
Tudo que as crianças aprendem a maioria é por meio de mentiras Papai Noel, Coelho da Páscoa, Mentira faz o nariz crescer, se apontar o dedo para uma estrela nasce uma verruga no dedo, se engolir um caroço de fruta nasce uma árvore dentro de você, Bicho papão e que agente deve falar sempre a verdade é sempre melhor (melhor para quem).
Nós aprendemos esse monte de mentiras bobas, mas que são mentiras, para aprendermos que não devemos dizer mentiras, espere aí, isso não ficou muito claro, huuumm.
Agora imagine a cena, você quebrou algum vaso ou janela e aí ela, sua mãe, pergunta: Quem foi? Você através do seu silêncio nega que tenha sido o autor dessa proeza, aí ela torna a perguntar: Quem foi? E continua, Se você me disser a verdade vai ser melhor. Mas como vai ser melhor se eu contar a verdade? Eu digo a verdade e apanho se eu mentir e ela descobrir que é mentira eu apanho mais, apanho por ter quebrado o vaso ou janela e apanho por que menti.
Insano isso, não?! Então, quem é que pune nossos pais por nos ensinarem ou deixarem acreditar nas mentiras bobas que eu citei no começo desse tópico? Como posso acreditar que se eu disser a verdade sempre eu irei me dar bem?
Essas perguntas sempre me perseguiram e que me faz questionar todo esse sistema educacional de nossas famílias e a conclusão que chego é que a as verdades que aprendemos são baseadas (adoro essa palavra) em mentiras.
MEU DEUS, MEUS PAIS SÃO DOIS GRANDES MENTIROSOS! HAHAHAHA
Mentir para ensinar, a princípio, é sempre mais fácil, até por que há alguns detalhes que ajudam, o primeiro é o pensamento mágico das crianças que facilitam acreditarem nelas, o segundo e não menos importante é a credibilidade que os pais têm com seus filhos. Mas como não fazer as crianças mentirem, se muito do que fazemos é mentindo?
Falar a verdade não é fácil e falar mentiras é trabalhoso(Duvida cruel), mas ensinar a verdade com a verdade complicaria menos a vida dos pequenos.
E além do mais se nós somos grandes mentirosos por que devemos punir os nossos pequenos por mentir? Vejo aí uma competição edipiana hahaha, só pode haver um (parafraseando o filme Highlander)
Não estou aqui querendo defender que devemos dar preferência as mentiras ao invés das verdades, não é isso, mas que ao invés de punirmos poderíamos estimular o bom uso da mentira. Bom uso da mentira? É isso mesmo.
                Quando uma criança mente, ela está apenas usando a IMAGINAÇÃO dela para sobreviver, escapar de alguma possível ameaça física, ao punirmos apenas, nós estamos tolhendo a capacidade de criar, a imaginação dela.
                Sei que essa não é uma tarefa fácil, mas como tudo que é difícil os resultados são melhores e vai evitar que você não passe vergonha diante dos seus filhos, parentes e amigos. Quando um dia o seu filho revelar uma mentira sua para alguém e espero, que para o seu bem, eu não seja testemunha desse fato, pois vou postar aqui.
                Isso aconteceu com a minha mãe, hahaha, a minha irmã era uma criança acredito que ela tinha no máximo 6 ou 7 anos, como a minha mãe prezava que sempre disséssemos a verdade custe o que custar, ela atendeu o telefone e minutos antes ela recebeu a ordem que se alguém ligasse naquele dia para ela, era para dizermos que nossa mãe não estava, pois bem, alguns minutos depois o telefone toca e minha irmã diz: A minha mãe mandou dizer que não estava em casa.
                Que saia justa ela ficou, ela não sabia se batia na minha irmã ou se parabenizava ela por dizer a verdade, pelo que eu lembre esse foi o único exemplo da minha infância em que falar a verdade foi algo bom, e isso justamente, só aconteceu com a minha irmã, eu tentei repetir e me dei mal, recebi um pedala Robinho da minha mãe. Mundo Injusto esse.
                Mãe, Pai é tudo brincadeira quando disse que vocês são grandes mentirosos, quer dizer vocês foram e são, mas foram por uma boa razão, não foi?
                E pra finalizar não me entendam mal e nem pense que eu esteja fazendo alguma apologia à mentira, pelo contrário estou defendendo o direito de uma educação mais sincera, afinal mentiras e hipocrisia já basta as dos nossos representantes nas assembléias e senado.
                PS. Ah já que eu estou sendo sincero, no segundo ano de cursinho pré-vestibular eu quase fui expulso e só fui passar a semana na casa da vó nina para ir a uma festa e não por está com saudades dela, ah vó amo você!
.

Big Brother Brasil


            Eu assumo sem vergonha e sem medo de ser feliz que assisto ao BBB 10, todo santo dia. Assumo que eu vejo os 20 minutos de exibição ao vivo após a apresentação diária da rede Globo no canal Multishow, assumo que me arrependi de não ter comprado o pacote pay-per-view do BBB10, assumo que entro no site do programa para ver o que está acontecendo na casa e que fico votando várias vezes no candidato que eu desejo que seja eliminado.
            Quando digo isso as pessoas me questionam se eu assisto para analisar o comportamento dos participantes ou se estou estudando as técnicas de manipulação dos candidatos, eu assumo que faço isso, mas a minha razão de assistir é por que gosto mesmo do programa e principalmente essa edição, é a primeira vez que eu acompanho desde o começo e com tamanha freqüência, mas o engraçado nisso tudo é que quando assumo que eu realmente gosto do programa, as pessoas me criticam, fazem biquinho e dizem: - Não sei como você consegue assistir aquela porcaria.
            Como é fácil criticar os outros e não perceber que fazemos as mesmas coisas, as pessoas falam mal de quem assiste a este reality show, mas, no entanto, não percebem que a elas não são acrescido nada quando assistem a qualquer novela, como a Tempos Modernos ou a Caminhos do Coração, esquecem que para se divertir não é preciso apenas programas cultos. Diversão é tão simples que não deveria ser rotulada.
            Tenho amigos que vivem mandando um email sobre um texto de um professor de uma universidade renomada no qual ele critica a maneira como esse programa aliena as pessoas.
            Por falar em alienação podemos também incluir Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas, enquanto se fala de futebol o povo se esquece dos problemas, o transcorrer da vida muda, só fala e se respira esses eventos, não existe mais fome, não existe mais discriminação, não existe mais mazelas essas coisas formam o fundo enquanto a Copa do Mundo e as Olimpíadas passam a ser as figuras de primeiro plano.
            Isto me faz lembrar uma estratégia de governo romano, a política do pão e circo, o governo romano para acalmar, entenda alienar, o povo dava pão para eles ficarem com a boca cheia e não reclamarem e proporcionava muitas lutas entre gladiadores, tigres e cristãos, a massa adorava se entretinha.
            Não sou contra esses eventos esportivos pelo contrário, são eventos bonitos, mas não posso esconder a característica alienante que eles possuem. Ingressos caríssimos para assistir uma partida de futebol ou outro esporte olímpico.
            Antes de falarmos do outro é preciso que olhemos para nossas próprias atitudes e escolhas, há quem não goste de BBB por que o acha fútil, concordo, mas ao mesmo tempo essas pessoas gostam de Hermes e Renato e Tela Clash, nada contra também gosto, mas futilidade por futilidade viva a diversidade de lazer.


           



.

Finger in the ass



As diferenças e bizarrices de qualquer casal!
.

Sincericídio: Aniquilação da Sinceridade

            Todo mundo quer inventar alguma coisa, e para quê? Eu acho para se tornar famoso ou ser imortalizado, quero dizer, as duas coisas dão na mesma.
            E uma das coisas entre as infindáveis tentativas de se imortalizar é a invenção de alguma palavra ou gíria, você já ouviu falar na pessoa que inventou a gíria gazear? Ou 171(um-sete-um)? Ou Iapois (no caso de nós nordestinos)? Ou pocar? Você conhece a pessoa que usou essas palavras pela primeira vez com o sentido que entendemos hoje em dia? Acredito que não.
            Você já ouviu falar na palavra sincericídio? Imagina o que pode ser?Aposto que também não sabe, e muito menos a mente insana que inventou essa palavra? No entanto você sabe que está usando ela pela primeira vez em público? Eu, né?!
            A mente perturbada que inventou essa palavra foi um amigo meu, que por sinal é psicólogo também, e ele me desafiou a escrever sobre o que é sincericídio, o insano desse meu amigo ainda mandou me virar, quando perguntei a ele que diacho de palavra era sincericídio, usando meus poderes dedutivos que só podem ser comparados ao do bátiman (ou melhor, Batman) e graças às aulas da minha professora de língua portuguesa, a Mestra Osmandina, sei que esta palavra se trata de um neologismo, onde o indivíduo utilizou o processo de formação de palavra por aglutinação, onde ele untou a palavra sinceridade com o sufixo cídio, então deduzo que essa palavra, se é que posso chamá-la assim, significa aniquilação da sinceridade.
            Sei que o Lipão não é um cara caposo, ele é tão sincero que chega a doer, há pessoas que o acham bruto, mas eu não sou um das pessoas mais sinceras que conheço, mas eu me pergunto e exponho a você, até que ponto podemos ser sinceros? Ou até que ponto a sinceridade é boa?
            Certa vez ao trocar umas idéias com uma tia, ela me disse a seguinte frase, A verdade dói. E eu completei: Mas a mentira mata! Não sou o cara mais sincero do mundo, e também não sou o maior mentiroso, mas sei muito bem que a mentira dá muito mais trabalho, e que a mentira é apenas para os inteligentes.
            A verdade é absoluta, por mais relativa que ela seja a verdade é soberana e completa.
            Falar a verdade mesmo que doa, é sempre a melhor saída, se contar mentiras é algo para pessoas inteligentes, contar a verdade é para as pessoas corajosas.

Dar na mesma – ser a mesma coisa.
Gazear – Faltar aula
171(um-sete-um)- Falso
Iapois - Sim
Pocar- Estourar algo
me virar- Resolver os problemas sem ajuda de outra pessoa
cara caposo – Pessoa com segundas intenções, falsa
trocar umas idéias com - Dialogar

A verdade pode até doer, mas a mentira mata!
.