Perder para ganhar


"Cada um tem o seu dia! Ó adversidade, tu também terás o teu!"( Provérbio Árabe) Quando penso em perder e ganhar, me vem a imagem de um reality show com o mesmo nome aqui no Brasil, que passa no canal People´n arts, onde algumas pessoas obesas que estão em um rancho cujo o único objetivo é emagrecer o máximo que puder e encontrar estratégias para emagrecer quando sair do programa. E ganha o programa quem for o maior perdedor ou seja quem mais emagrecer. O programa é divertido, mas na vida real esse lance de perder ou ganhar é muito estressante, é muito chato, tudo hoje em dia é muito competitivo, todo mundo fica tentando provar que é melhor do que o outro, ou mostrar que é bom, todo mundo deseja Estar no topo, o cume, e aí as pessoas dizem “só o cume interessa” agora leia em voz alta a frase destacada. Hahaha. Às vezes nos esquecemos de que a vida é feita de altos e baixos, de momentos bons e de momentos ruins, e todos esses momentos são ou estão interligados e isso me faz lembrar de uma piada, aliás, duas, a pessoa que perdeu a mão é maneta, a que perdeu a perna é perneta. Pergunta: E a pessoa que perdeu o punho, é? Pense...pense mais um pouco... tic-tac, tic-tac, tic-tac, pense mais um pouco, pensou? Não, não é isso que você pensou, a resposta é cotó, quem perdeu o punho agora é cotó. Falando em cotó um homem estava andando distraidamente por uma rua escura e esse homem era cotó, não tinha suas duas mãos, e além de cotó o pobre era português e quando de repente ele caiu em um buraco e então em vão começou a tentar subir, ele logo em seguida começou a gritar por ajuda quando um transeunte ouviu seus apelos e resolveu ajudá—lo, logo ele sugeriu ao portuga que iria jogar uma corda para tirá-lo de lá, impressionante como em piadas sempre se tem uma corda reserva, ele disse que não tinha as duas mãos, então o bom samaritano sugeriu que ele agarrasse a corda com os dentes, e assim o português fez, quando ele chegou no cume, já saindo do buraco o bom samaritano comentou, “poxa você tem dentes fortes” e o português respondeu: “É, teeeeenho sim!” e caiu novamente no buraco. Muitas vezes caímos direitinho nos revezes que a vida dá, mas como sou brasileiro e você também e não desistimos nunca. Será que não dá para empatar? Empatar é bom, bom pra todo mundo, analise comigo, o que vem a ser o empate? O empate nada mais é do que uma vitória coletiva, mas como nossa sociedade é competitiva não tem como vivermos empatando, então eu estou tentando aprender a vencer da melhor maneira e a lidar de uma forma positiva com a derrota, eu sempre vejo a derrota como um degrau para eu melhorar, aí você deve está pensando, isso que você disse agora, Iata, é balela ninguém lida tão bem assim com a perda, eu sei, nós aprendemos que perder é ruim, e não tiro a razão perder realmente é ruim, só que se eu analisar as minhas derrotas isso me fará um vencedor, veja bem o nosso amigo português, ele tem uma condição delicada, que é a de ser português, hahaha, mas apesar da situação delicada dele e do fato dele ser deficiente físico fez ele desistir e ficar a míngua no buraco? Não, ele fez tudo o que podia e quando percebeu que seus esforços não o ajudariam ele pediu ajuda e mesmo assim a ajuda era um pouco complicada por que ele não tinha os braços, mas tudo bem ele usou as ferramentas que tinha em mãos, quero dizer na boca. Toda vez que eu penso que evoluir é avançar eu visualizo duas cordas, uma onde ponho os meus pés e a outra onde seguro com as minhas mãos e que tenho que dá passinhos pequenos para chegar ao outro lado, e que para chegar lá do outro lado exige certo esforço meu, a cada passo que dou tenho que abrir a minha mão para largar da posição em que estou e segurar em outra, só que neste intervalo onde solto, desloco e agarro na corda eu fico em desequilíbrio e as vezes fico com medo de ir adiante, voltar não dá, porque ficarei em desequilíbrio novamente, então seguir é a melhor maneira, é preciso coragem, crescer exige coragem, ir adiante exige coragem e na minha opinião a maior vitória é vencer os meus medos, mesmo que não alcancemos o outro lado. Vencer ou perder é tudo uma questão de ponto de vista, por isso durante a faculdade eu nunca me preocupei em tirar boas notas, quero dizer, os 10,0, o que me importava era o conhecimento que eu adquiria, eu estudava para esse momento e não para a prova, aí vinha algumas pessoas e diziam tinham tirado 9,95, sabe o que eu dizia a elas? Como você é incompetente! Como é que você não consegue tirar um 10? Elas ficavam iradas comigo, mas fazer o quê? vieram me esnobar deu no que deu! Agora me lembro de uma situação em que eu tinha tirado 1,0 na prova de antropologia cultural e a professora resolveu entregar as provas de acordo com a nota em ordem decrescente então primeiro foram os 10, até chegar às pessoas que tinham tirado as notas mais baixas e depois eu, que tinha conseguido a façanha de tirar nota 1,0 numa prova que era para fazer uma dissertação, bem graças a esse 1,0 eu desenvolvi o gosto pela escrita, aí ficou eu e mais duas meninas uma delas não me recordo da nota e a outra tinha tirado 1,5 e aí quando ela perguntou quanto foi a minha nota eu disse q tinha tirado 1,0 ela começou a pular e a rir, eu falei: “ ô menina, você enlouqueceu? você está fazendo dancinha na minha frente? Pelo menos você poderia esperar eu sair da sala. Quanto é que você tirou na nota?” Ela respondeu: “ 1,5.” e que apesar de ser pouco ela tinha tirado uma nota superior a minha, isto pelo fato de eu ter sido o primeiro colocado no vestibular de Psicologia, mas tudo bem, eu fiquei chateado, só um pouquinho mas deixei para lá hoje somos bons amigos, gosto muito dela. Vencer ou perder é tudo uma questão de perspectiva, de adaptação e aonde queremos chegar. Isso tudo é uma questão de mudança e mudar significa sair da nossa zona de conforto e ir ao desconhecido e por causa disso há algumas pessoas que têm medo de vencer ou de perder por causa das mudanças que as acompanham e ficam na se escondendo atrás da inércia divina, dizendo foi assim que Deus quis, pondo a culpa no Todo Poderoso por nossa situação, pode até ter uma intervençãozinha divina na parada, mas por que não utilizá-las ao seu favor, às vezes nós estamos no fundo do poço para aprendermos a sair e pedir ajuda a quem está lá em cima, entendeu? Nem sempre quem te tira da “merlim” é o seu amigo. E na minha opinião o maior vencedor é aquele que sabe como lidar com as derrotas e as usa como propulsor para objetivos maiores e melhores. Deus move o céu inteiro para te ajudar em coisas que você não pode fazer, mas não move uma palha em coisas que você pode fazer.
.

0 comentários: